Heróis anónimos

Há profissionais da GNR que se voluntariam nas folgas e férias.

Por César Nogueira | 29.07.17

O flagelo anual dos fogos implica um esforço sobre-humano dos profissionais da GNR que, no terreno, não só combatem também diretamente os incêndios como agem no sentido de garantir a segurança das populações e dos seus bens.

É justo o relevo dado pela imprensa aos bombeiros, ninguém põe isso em causa.

O que provoca estranheza é que os profissionais da GNR permaneçam anónimos, sem que o cidadão comum se aperceba do esforço que despendem, da forma como se sujeitam diretamente ao perigo e desafiam os seus limites físicos e psíquicos.

A época de incêndios coloca também a nu as carências existentes ao nível dos recursos humanos afetos à vertente operacional pelo que, por insólito que pareça, há profissionais da GNR que ficam mais de 24 horas de serviço para acorrer a estas situações.

Parece que ninguém se lembra disto… Há profissionais que se têm voluntariado para prestar serviço durante as folgas e férias, pelo que não é demais saudar o humanismo, profissionalismo, empenho e espírito de sacrifício de todos aqueles que, longe da visibilidade mediática, mesmo na sombra, arriscam a vida para salvar outras vidas, cumprindo o juramento que fizeram quando ingressaram na Instituição.

Artigo disponivel em CM ONLINE

Todos os artigos de opinião de Cesar Nogueira