A Câmara Municipal de Borba colocou à Guarda Nacional Republicana da cidade, as instalações da antiga Escola Primária. Contudo, não se sabe ainda quando será possível a transferência dos militares para estas instalações mais condignas do que o atual posto.

A situação foi denunciada pela Associação dos Profissionais da Guarda (APG/GNR), em comunicado enviado à comunicação.

Em declarações à Rádio Campanário, António Barreira, Coordenador da Delegação Regional da Zona Sul, da APG/GNR afirma que “compete à tutela e não aos municípios, resolver o problema da segurança e das instalações”.

Desta forma, e questionado sobre o que será necessário da parte da Tutela do Ministério da Administração Interna para que a transferência possa ocorrer, evidencia a existência da necessidade de “contenção pública”, razão pela qual “a associação estranha” a demora no processo, uma vez que inclui instalações cedidas pelo Município.

António Barreira avança que este “processo relativamente a facultar uma escola primária que está desativada”, foi iniciado em 2014, tendo o protocolo de cedência então iniciado, sido cancelado. A notícia do cancelamento chegou à APG/GNR por parte do município, mas o coordenador defende que a causa se pode ter prendido com falta de “entendimento entre as partes”, competindo “ao MAI fiscalizar o que se passa”.

 Relativamente ao espaço disponibilizado pela Câmara Municipal de Borba, recentemente visitado por elementos da delegação da APG/GNR, afirma ser “um edifício com bastantes capacidades” para a instalação de um posto da GNR, não carecendo “de obras de fundo” para tal.

Não havendo ainda nenhum projeto de execução elaborado, afirma que a construção de “um posto de raiz” representaria uma despesa muito maior. “Tomara muitos postos da guarda terem as condições que esta escola primária tem”, conclui.

Audio de António Barreira, Coordenador da Região Sul da APG/GNR 

Comandante Coronel João Maia, do Comando Territorial de Évora da GNR, em declarações à RC, afirma que “a muito curto prazo, ou a médio prazo” o Posta da GNR de Borba, “irá ser transferido para outras instalações”.

Não sabendo ainda quando será possível a transferência dos militares para estas instalações mais condignas, o processo está a decorrer, encontrando-se no local à data da entrevista, “uma equipa de engenheiros a fazer o estudo de todas as infraestruturas”.

Audio de Coronel João Maia, Comandante do Comando Territorial de Évora

Isabel Oneto, Secretária de Estado Adjunta e da Administração Interna, declara que “o projeto de execução está em elaboração”. Apenas após a conclusão do mesmo, será possível obter um orçamento relativamente às necessárias obras de adaptação da antiga Escola Primária de Borba, a Posto da GNR, explica.

Audio de Isabel Oneto, Secretária de Estado Adjunta e da Administração Interna

Artigo disponível em Rádio Campanário