A Associação dos Profissionais da Guarda - APG/GNR e o Guarda Principal Rui Pinto agradecem a forma indescritível de como foi encarada esta onda de apoio e solidariedade por parte dos Associados da APG, Profissionais da Guarda, Forças de Segurança e população em geral.

Com algum esforço, foi possível efectuar o pagamento das custas judiciais (5712,06€) de um processo em que o Guarda Principal Rui Pinto foi condenado por homicídio negligente, durante uma perseguição em Fânzeres, Gondomar, em julho de 2012.

Encerra-se por fim, um capitulo negro neste Profissional da GNR.

A todos muito obrigado!

Juntos somos mais fortes!

Bem Hajam!

Nuno Miguel Guedes
Coordenador da Região de Lisboa da APG/GNR


mailnew_novo (1)