O Governo publicou esta sexta-feira em Diário da República um despacho a autorizar o investimento de 279 mil euros (mais IVA) em obras de reabilitação e adaptação de um edifício, situado no Chinicato, para a instalação do posto da GNR de Lagos. Atualmente, esta força de segurança ocupa um imóvel antigo e degradado, no centro da cidade. 

O objetivo é promover a mudança da GNR para um edifício que é propriedade da Câmara de Lagos e que já acolhe o Destacamento de Trânsito da mesma força de segurança.

A empreitada ficará a cargo da autarquia - que já lançou o concurso público -, sendo o valor reembolsado pelo Governo, através da Secretaria-Geral da Administração Interna.

O despacho a autorizar a despesa até ao montante de 279 mil euros é assinado pelo secretário de Estado do Orçamento, João Carvalho Leão, e pela secretária de Estado Adjunta e da Administração Interna, Isabel Oneto.

O posto territorial de Lagos funciona, desde 1911, num antigo convento, construído há aproximadamente 500 anos. Estas instalações da GNR são consideradas das mais degradadas de toda a região algarvia.

No final do ano passado, a Associação dos Profissionais da Guarda (APG/GNR) alertara para o facto do posto não ter "o mínimo de condições de habitabilidade e salubridade", frisando que a situação "tem vindo a degradar-se de forma acentuada".

Segundo a APG/GNR, existem "paredes e tetos a cair, canalização que coloca em perigo a saúde pública, espaço sem condições para atender o cidadão, para efetuar refeições e para pernoitar ou descansar".

Artigo disponivel em CMJORNAL