A GNR quer reforçar, de uma vez só, o efetivo desta força de segurança com 900 novos militares até ao final do ano. Para tal, está a ser preparada a colocação, em simultâneo nos postos territoriais, dos alunos de dois cursos de formação de guardas (o primeiro com 300 militares e o segundo com 600).

A Associação dos Profissionais da GNR (APG) confirmou ao CM que as três centenas de estagiários, alunos do 39º curso de formação de guardas, já terminaram o período de estágio e aguardam agora colocação definitiva. "Eles regressaram à escola da Figueira da Foz", explicou ao CM César Nogueira, presidente da APG.

A ideia do comando-geral desta força de segurança é colocar provisoriamente estes 300 militares, à espera que os outros 600 futuros guardas terminem o respetivo estágio que estão a realizar. "Tal deverá acontecer em dezembro, mês em que é previsível que também façam o compromisso de honra", acrescentou César Nogueira.

Só quando ambos os cursos tiverem os respetivos compromissos de honra efetuados é que a GNR prevê distribuir os cerca de 900 novos militares.

Contactada pelo CM, a GNR explicou que o compromisso de honra do 39º curso de formação vai ocorrer a 4 de outubro, "regressando depois os novos guardas aos locais onde estagiaram". "O período entre o fim deste curso, e do 40º, é de cerca de 5 semanas. Por isso, o comando-geral optou por uma colocação única", conclui. Apesar de concordar com a medida, a APG diz que "não irá resolver o problema de efetivo".

SAIBA MAIS

Várias valências

Além do dispositivo territorial, a GNR conta com patrulhas de trânsito e ainda forças de reserva como a Unidade de Ação Fiscal, Unidade de Controlo Costeiro, e Unidade de Intervenção. 

1911

Ano em que a Guarda Nacional Republicana foi fundada, menos de um ano após a implantação da República. A força de segurança em sede no Quartel do Carmo, em Lisboa. 

Missões externas

Ao longo de 107 anos de história, a GNR já realizou várias missões fora do território nacional. Recorde-se as ações no Iraque e em território de Timor-Leste, durante o período da independência.

Artigo disponível em CMJORNAL.PT