A APG/GNR esteve presente hoje numa reunião com o Secretário de Estado Adjunto e da Administração Interna.

Foi apresentado um documento com os pontos a negociar em reuniões posteriores já agendadas, designadamente:

  1. Pagamento de retroactivos referentes aos suplementos não pagos em período de férias, entre 2010 e 2018.
  2. Plano plurianual de admissões;
  3. Suplementos remuneratórios;
  4. Lei de programação de infraestruturas e equipamentos das forças e serviços de segurança do Ministério da Administração Interna – Lei n.º 10/2017, de 3 de Março;
  5. Segurança e Saúde no Trabalho.

Lamentamos que não faça parte das matérias a negociar a revisão do sistema remuneratório e do horário de referência, que decorre de imposição legal e que a APG/GNR não deixará cair no esquecimento.

Importa sublinhar o conteúdo do primeiro ponto, que se reporta ao pagamento de retroactivos referentes aos suplementos não pagos em período de férias e que é uma dupla vitória dos profissionais da GNR. A legislação era discriminatória e não permitia o pagamento dos suplementos refentes a período de férias aos profissionais da GNR, situação que foi corrigida no dia da acção de protesto da Comissão Coordenadora Permanente – CCP do ano transacto.

O pagamento dos retroactivos referentes a estes suplementos é de inteira justiça, pois seria inaceitável que se mantivesse a discriminação em relação aos profissionais da PSP.

A APG/GNR não transigirá naquilo que são as suas principais reivindicações e independentemente de agendamento das matérias apresentadas, irá em breve apresentar um caderno reivindicativo à Tutela, de onde constará uma proposta de tabela remuneratória.

Saudações Associativas

A APG/GNR