Em novembro as estruturas sindicais/associativas acima representadas anunciaram a realização de um protesto para o dia 21 de janeiro.

Para discutir as ações de protesto a desenvolver foi agendado o Encontro Nacional, ontem realizado nas instalações da Voz do Operário, em Lisboa, dando a possibilidade a todos aqueles que quisessem ter voz participativa de apresentar diferentes formas de luta.

Neste encontro ficou bem patente os limites atingidos pelos profissionais das polícias e bem vincada a forte vontade de encetar as mais diversas formas de protesto.

Ficou decidido dar início a uma sequência de ações de protesto a ter lugar todos os meses, até que haja por parte do governo uma tomada de posição real na resolução dos vários problemas elencados (já conhecidos pela anterior e atual legislatura) e que não nos cansamos de repetir:

• Devolução do valor retirado ilegalmente, nos suplementos, em tempo de férias, desde 2011;
• Aplicar o subsídio de risco conforme aprovação na AR;
• Atualização da tabela remuneratória;
. Garantir que o desconto para o SAD, já de valor exagerado, seja feito só nos 12 meses por ano;
• Aplicar a legislação da fiscalização da saúde e segurança no trabalho e considerar a profissão de polícia de desgaste rápido;
• Cumprimento do previsto no estatuto da PSP no que refere a pré-aposentação, com desvinculação dos polícias, se o desejarem, aos 55 anos de idade.

Ficaram agendadas para o dia 21 deste mês concentrações simultâneas em Braga, na realização da Taça da Liga, em Lisboa, frente ao Ministério da Finanças e em Faro.

Estas ações de protesto são de polícias e abertas a todos os cidadãos que apoiam as forças de segurança.

Lisboa, 10 de janeiro de 2020

APG/GNR, ASPP/PSP, SIAP, SNCC, SINAPOL, OSP, SPP, SVCP e ASAPOL